SC Régua 2 - 2 Vidago FC
13 Nov 2016 - 15:00Estádio Municipal Artur Vasques Osório - Peso da Régua - relvado Sintético

9ª Jornada da Divisão de Honra da AF Vila Real / 13 de Novembro de 2016

Estádio Artur Vasques Osório no Peso da Régua

Árbitro: Gonçalo Martins

SC Régua: Ricardo Martins, Alberto, Patrick (C), Úmaro, Caio, Felipe (Higídio), Zé Vítor (Henrique), Luisinho, Xandão, Tozé (Gael) e João Nuno.

Cartões amarelos: João Nuno, Tozé, Caio e Patrick.

Golos: João Nuno 60´e Gael 84’

Treinador: João Valente

 

Vidago FC: Vieira, Márcio, Portal, Rendeiro, Daniel, Nacho, Bruno Carvalho, Rafa (Guedes), Fábio Alex (Marco), Castelo e Edu Paiva (Palhares)

Cartões amarelos: Rendeiro, Daniel, Bruno Carvalho, Rafa e Edu Paiva.

Cartão Vermelho: Rendeiro

Golos: Rafa 44’ e 54’

Treinador: Pedro Adão

 

Jogo de candidatos deu em empate

Bom jogo de futebol, este que se previa na Régua e as expectativas não saíram goradas, apesar da lesão grave de Patrick e da fraca exibição da equipa de arbitragem O jogo começou equilibrado com as duas equipas a estudarem-se uma á outra. O Vidago trocava melhor a bola e era mais rápido, enquanto o SC Régua jogava no futebol mais direto mas tinha João Nuno sozinho na frente.

A primeira grande oportunidade apenas aconteceu ao minuto 30, quando o jogador visitante Fábio surgiu isolado mas rematou ao lado perante Ricardo Martins. O mesmo Fábio pouco depois tinha outra boa oportunidade mas o guardião reguense fez bem a mancha.

Quando se pensava que o jogo ia para intervalo com um empate, eis que surge o golo do Vidago. Cruzamento largo na esquerda e Rafa sozinho ao segundo poste de cabeça só tem que encostar para o fundo das redes.

Na segunda parte, João Valente lança Gael na partida para tentar alargar mais a frente de ataque mas aos 54 minutos, Ricardo Martins sai da baliza para cortar uma bola mas este acaba por a perder e Rafa de fora da área remata para a baliza deserta fazendo o 0-2 na partida.

Pensava-se que o jogo poderia ter “terminado” ali mas os jogadores Reguenses nunca baixaram os braços e foram em busca do golo que os pudesse relançar na partida. Com um futebol agora mais rápido, encostavam o Vidago na sua defensiva. Num lance de ataque João Nuno ganha a bola na área e é empurrado pelas costas. Grande penalidade assinalada mas o cartão amarelo ficou no bolso de Gonçalo Martins. Talvez porque seria segundo cartão amarelo??? Fica a dúvida. João Nuno chamado á conversão não falha.

João Valente não perdeu tempo e lançou na partida Henrique e Higído para dar mais velocidade á equipa e na tentativa de chegar ao empate. O jogo agora jogava-se quase só no meio campo do Vidago com o SC Régua, agora sim, a mostra bom futebol.

Aos 70 minutos, Rendeiro tem uma entrada dura a pés juntos sobre João Nuno e o árbitro não hesita em mostrar o cartão vermelho direto. Decisão correta do Juiz da partida que teve neste lance coragem para mostrar o vermelho, no entanto poderia já ser o segundo da partida. Os ânimos exaltaram-se para os lados do Vidago que até então criticavam os Reguenses por estarem contra as decisões da equipa de arbitragem.

Na sequência deste livre, o guardião Vieira fora da sua pequena área no ar vai para cima de Patrick sem sequer tocar na bola. Falta claríssima para grande penalidade mas que o juiz da partida assinala como falta atacante. Deste lance resulta numa lesão grave de Patrick, que obrigou o jogo a estar mais de 20 minutos parado, tendo mesmo a ambulância dos Bombeiros Voluntários de Peso da Régua entrado no relvado para o transportar para o Hospital de Vila Real. Segundo informações já recolhidas, Patrick fraturou duas costelas.

João Valente como já tinha feito as 3 substituições ficou privado de um jogador de campo, ficando o jogo em igualdade numérica de 10 contra 10.

Este lance fez com que a equipa da casa se unisse ainda mais e fosse atrás de pelo menos o empate para dedicar ao capitão que tinha saído lesionado e esse esforço deu frutos á passagem do minuto 84. Higido numa boa jogada na esquerda cruza para Gael que de cabeça restabelece a igualdade no marcador.

Até final do encontro tanto o Vidago como o SC Régua desperdiçaram ainda duas boas oportunidades de golo mas o resultado já não se alterou. Pelo que se passou ao longo dos 90 minutos, o empate ajustasse. O Vidago melhor na primeira e o SC Régua melhor na segunda parte.

Quanto ao árbitro da partida, este foi mesmo o pior em campo, alias, o trio de arbitragem. Permitiu aos jogadores do Vidago jogo duro, bolas jogadas com os braços e tem dois erros graves. No lance do penalti não mostra o cartão amarelo ao jogador que faz a falta e no lance da lesão do Patrick, Vieira faz grande penalidade claríssima. Quando o árbitro assistente da bancada vê o jogador Rafa e não só a fazerem gestos obscenos para a bancada e a provocarem os adeptos e o manda ter calma e a dizer que viu, mas sem agir… está tudo dito da postura da equipa de arbitragem. A equipa do Vidago sente-se prejudicada mas só se sentiu quando sofreu o golo porque antes, estava tudo normal. Será que viram os seus jogadores com atitudes provocatórias para a bancada? Será que o lance da lesão do Patrick não é grande penalidade? Até um cego conseguia ver.

Custa estar a vencer 2-0 fora e sofrer o empate… se o SC Régua tem “beneficiado” da vantagem numérica em campo e não tem sofrido com os erros de arbitragem, possivelmente até teria conseguido a remontada.

Pena é que estas arbitragens continuem na associação e ainda por cima com um árbitro dos nacionais.

Pelo Régua… Tudo!!!

Fcardoso1

 

Fotos: Eduardo Ribeiro (SC Régua)

sc-regua_vidago_201617_1 sc-regua_vidago_201617_2 sc-regua_vidago_201617_3 sc-regua_vidago_201617_4 sc-regua_vidago_201617_5 sc-regua_vidago_201617_6